Dia da Consciência Negra

Arte e literatura valorizam a cultura negra em sala de aula

Os alunos do Miraflores sabem exatamente sobre a importância do dia 20 de novembro, quando se celebra o Dia da Consciência Negra.  A história e cultura afro-brasileiras já eram valorizadas e estudadas em sala de aula antes mesmo da aprovação da Lei 10.639, em 2003, que instituiu seu ensino nas escolas.

Atividades variadas foram planejadas para abordar o tema com os alunos da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental. Na Educação Infantil, as turmas fizeram uma pesquisa coletiva para elaborar um cartaz sobre as diferenças físicas, ressaltando a pluralidade do povo brasileiro. As crianças também participaram de brincadeiras, roda de música africana e sessão de cinema. Na literatura, destaque para o livro “It’s Okay to Be Different”, de Todd Parr.

No Ensino Fundamental, teve roda de conversa sobre o Dia da Consciência Negra, sessão de cinema com debate e uma produção jornalística coletiva abordando a consciência negra e a importância do respeito às diferenças. Os alunos leram a obra “Anansi stories – African Folktales”.

O objetivo das atividades pedagógicas é desenvolver a solidariedade e a compreensão, com uma dimensão ética e de respeito pelas pessoas, além de reconhecer e valorizar a diversidade humana.

Comemorado em várias cidades do país, o Dia da Consciência Negra marca a morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. Último líder e defensor do Quilombo de Palmares, o maior quilombo do período colonial brasileiro, ele impediu que diversas expedições conseguissem escravizar novamente os negros que conseguiram fugir para lá.