MiraExpo do Saber

Feira do Conhecimento exalta biomas brasileiros e ecoturismo sustentável

Espaços interativos aliados às velhas brincadeiras atraíram as crianças.

Um dos eventos mais aguardados do ano no Centro Educacional Miraflores aconteceu neste sábado (30/09) e foi um sucesso. A “XXIII MiraExpo do Saber – Conhecer para Preservar” reuniu pais, alunos e a equipe técnica e pedagógica no Centro de Convenções SulAmérica.

Dedicada ao “Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento”, declarado pela UNESCO, a exposição integrada de trabalhos dos alunos das unidades Barra e Laranjeiras deixou os visitantes perplexos com a criatividade, a beleza e a variedade das obras.

Conhecendo o próprio país

Jacarés de papelão, sistema de compostagem e uma trilha feita com obras do poeta pantaneiro Manoel de Barros foram alguns dos destaques da sala dedicada ao Ensino Fundamental. O Miraflores elegeu os biomas brasileiros como tema do trabalho desenvolvido por esse segmento ao longo do ano letivo.

Amor pela escola


Acompanhadas dos pais, as crianças puderam interagir e se divertir com as atividades pedagógicas.

Orgulhosos de sua produção, os próprios alunos explicavam como construíram esses novos conhecimentos. Marina de Freitas Ferreira, do 4º ano, fez uma escultura inspirada na obra do artista Vik Muniz. “Nós fizemos uma pesquisa e adoramos o que ele fez com o lixo. O artista tirou fotos dos trabalhadores que recolhem o lixo para reciclagem e vimos uma realidade que não é nem um pouco justa. Inspirada nas obras dele, eu fiz uma coruja feita de papel higiênico e algumas lixas”, conta. O irmão dela, Gabriel, aluno do 2º ano, experimentou uma técnica diferente, a escultura em argila. “O meu trabalho foi muito legal! A professora mostrou que com os objetos que a gente tinha na mochila poderia fazer uma escultura ao pressionar contra a argila”, diz Gabriel. Falando com tanta firmeza, os pequenos enchem a mãe, Sheila Freitas, de orgulho. “Está tudo muito bonito. Eles estavam loucos para vir e mostrar o que fizeram. Eles participaram ativamente”.

“Eu acho legal, porque com essa feira a gente aprende sobre várias coisas, como o Pantanal, os mistérios das ilhas, compostagem e minhocário. A gente viu vários vídeos, estudou e leu muito. Eu amo essa escola!”, diz Maria Clara Barreto de Pinho, do 4º ano. A mãe, Fernanda, é a fã número 1 das produções da aluna. “Essas crianças têm uma criatividade muito avançada, dão um banho na gente! Os trabalhos são grandiosos. Em casa, nós percebemos a diferença! A minha filha é antenada em todos os assuntos.  Conhece de tudo um pouco”, diz.

Adriana Castilho, mãe da Marina (Pré-escola II) e da Carol (2º ano), conta que esta é a segunda edição da MiraExpo que ela visita. “Eu estou encantada. As meninas mostram com orgulho o que fizeram. De um ano para outro eu sinto que elas mudaram muito. Ganharam não só em conhecimento, mas em relação afetiva. Bem legal”.


Ecoturismo consciente

O ecoturismo foi o tema principal dos trabalhos da Educação Infantil.

Os alunos da Educação Infantil trabalharam especificamente o tema proposto pela Unesco. “O Maternal I desenvolveu trabalhos sobre ‘Terra, Céu e Mar – No ecoturismo vamos embarcar’; o Maternal II, ‘ Eu Exploro a Natureza – Conhecendo e Preservando’; a Pré-Escola I, ‘Ecoturismo Terrestre’ e Pré-Escola II, ‘Ecoturismo Marinho’. A ideia é de que nós podemos nos divertir nesses lugares, mas é preciso preservar”, diz a coordenadora educacional Cintia Freitas.

Desenhos que encantam

Os bebês também colocaram a mão na massa. O Berçário interagiu com os temas propostos de acordo com a sua faixa etária. As crianças participaram da realização de desenhos e pinturas que decoraram os espaços dedicados a eles: oficina de contação de estórias e espaço sensorial.

A maior recompensa!

As famílias prestigiaram a exposição dos trabalhos dos alunos.

A coordenadora Cintia Freitas se emociona ao pensar no que os alunos ganharam em termos de conhecimento e pensamento crítico. “Formar cidadãos que consigam pensar regionalmente para depois pensar mundialmente é muito importante porque só assim a gente consegue mudar o mundo. Eles passam a conhecer de verdade o país em que vivem: a cultura, a geografia, a história e as necessidades que o Brasil tem que enfrentar para se tornar um país sustentável. A gente vê a produção deles e fica emocionada”, completa Cintia.

 

 

 

Veja os trabalhos dos alunos apresentados na MiraExpo do Saber